Casa de passagem "Espaço Acolher" aumenta em 150% sua capacidade de atendimento em relação ao ano passado

por LEORY WILLIAM / Secom/BG — publicado 01/12/2015 16h38, última modificação 01/12/2015 16h38
A casa de passagem “Espaço Acolher” inaugurada em abril do ano passado em Barra do Garças, agora possui capacidade para atender 50 pessoas em período integral. O órgão que trabalhava com capacidade para atender até 20 pessoas, teve um crescimento de 150% em 2015. Em relação ao número de acolhidos em 2014 foram atendidas 298 pessoas, este ano o acolhimento é de 401 pessoas até o mês de novembro.

A casa de passagem “Espaço Acolher” inaugurada em abril do ano passado em Barra do Garças, agora possui capacidade para atender 50 pessoas em período integral. O órgão que trabalhava com capacidade para atender até 20 pessoas, teve um crescimento de 150% em 2015. Em relação ao número de acolhidos em 2014 foram atendidas 298 pessoas, este ano o acolhimento é de 401 pessoas até o mês de novembro.

O espaço Acolher é integrado a secretaria Municipal de Ação Social e conta com uma estrutura física bastante ampla com dormitórios e banheiros masculino e feminino, refeitório, cozinha, área de lazer, sala de entretenimento com televisão e uma equipe técnica composta por assistente social, pedagoga, psicóloga, técnico em enfermagem, cozinheira, segurança e apoio em serviços gerais.

O coordenador da Casa Valber Ferreira Barboza que também é assistente Social, disse que o objetivo da instituição é “acolher pessoas e famílias que passam por situação de rua ou abandono e vulnerabilidade social, ou mesmo pessoas que passam pelo município por motivos médicos e não possui condições de pagar hospedagem”.

De acordo com a psicóloga Jacy Caroline dos Reis o Centro de Referência Especializado de Assistência Social (CREAS) é responsável pelas triagens das pessoas que são encaminhadas para casa de passagem, uma vez acolhidas, passam por processo de ressocialização onde a equipe do órgão busca o auxílio de familiares, encaminhamento ao mercado de trabalho e confecção de documentos.

A secretária Municipal de Assistência Social Mara Kisner salientou a importância do acolhimento e seu processo de inserção - “o processo de saída das ruas requer tempo e adesão da pessoa que, durante sua permanência na Casa de Passagem terá oportunidade de elaborar, em conjunto com os profissionais – assistentes sociais e psicólogos, um projeto individual de atendimento, favorecendo sua autoestima e viabilizando sua reinserção familiar”, concluiu.

O “Espaço Acolher” leva em média 8 dias para fazer a inserção do acolhido, e que por lei pode ser acompanhado no período de até 3 meses. Segundo Valber Barboza 70% dos acolhidos entre os dois anos de funcionamento do órgão foram ressocializados e muitos já estão trabalhando.

A casa de passagem atende pessoas maiores de 18 anos. Localizada no bairro São Sebastião, s/n - Rua Joaquim Guardiato, ao lado da casa Filadélfia.
Mais informações:

CREAS – 3401 – 2398
Secretaria Municipal de Assistência Social – 3402 – 2020 ou 2062