ELEIÇÕES 2016: Vereadores podem trocar de sigla até sexta

por Dayane Senna/Ascom-UCMMAT — publicado 17/03/2016 15h53, última modificação 17/03/2016 15h53
Os próximos dias deverão ser de definições visando as eleições municipais de 2 de outubro deste ano, que escolherão prefeito, vice-prefeito e vereadores. Até sexta-feira (18.03), está aberta a janela para vereadores que quiserem trocar de partido sem correrem o risco de perder o mandato por infidelidade partidária.

Os próximos dias deverão ser de definições visando as eleições municipais de 2 de outubro deste ano, que escolherão prefeito, vice-prefeito e vereadores. Até sexta-feira (18.03), está aberta a janela para vereadores que quiserem trocar de partido sem correrem o risco de perder o mandato por infidelidade partidária.

Cerca de 30% dos 1.390 vereadores de Mato Grosso devem aderir a outras siglas partidárias até sexta-feira. A presidente da União das Câmaras Municipais de Mato Grosso (UCMMAT), vereadora por Guarantã do Norte, Edileusa Ribeiro trocou o Partido Trabalhista Cristão (PTC) pelo novato Partido da Mulher Brasileira (PMB).

Na sexta-feira, o presidente da Câmara de Barra do Garças, Miguel Moreira (Miguelão) acompanhado dos vereadores Geralmino Neto (Dr. Neto), Ailton Alves Teixeira (Biroska) deixam o Partido Social Democrático (PSD) e passam a integrar ao quadro do Partido Socialista Brasileiro (PSB). Em outras cidades do estado também podem ocorrer mudanças até sexta-feira.

NOVOS CANDIDATOS

O prazo para novas filiações, inclusive para quem pretende concorrer, vai até 2 de abril, seis meses antes das eleições. Até a última eleição o prazo era de no mínimo um ano. Portanto, ainda pode ter novidades nos partidos, inclusive de pessoas não filiadas hoje e que se filiando nos próximos vinte dias ainda podem disputar a eleição. Secretários municipais que pretendem concorrer na próxima eleição também devem deixar seus cargos até 2 de abril.

As convenções, que vão definir os candidatos para Prefeitura e Câmara de Vereadores, ocorrem entre 20 de julho e 5 de agosto. Antes eram em junho. E os registros de candidaturas e coligações devem ser feitos até 15 de agosto. Com isso, a campanha deste ano será mais curta, reduzindo o período de 90 para 45 dias. E o período de propaganda dos candidatos no rádio e na TV também foi diminuído de 45 para 35 dias, com início em 26 de agosto, em dois blocos no rádio e dois na televisão com 10 minutos cada.