Governo acata indicação de Oscar e lança aplicativo preparatório para o Enem

por Assessoria de Imprensa/Oscar Bezerra - Deputado Estadual — publicado 07/06/2016 20h36, última modificação 07/06/2016 20h36
O sistema reúne o conteúdo escolar cobrado no Exame Nacional do Ensino Médio e pode ser baixado, gratuitamente, de qualquer smartphone ou tablet. Pelo menos 230 mil jovens devem ser beneficiados

Uma ideia proposta pelo deputado estadual Oscar Bezerra (PSB) ao governo do Estado saiu do papel nesta terça-feira (7). Foi lançado o aplicativo para smartphones e tablets “Prepara Mais Mato Grosso”, que reúne conteúdo escolar cobrado no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem).

Gratuita, a plataforma já está disponível para celulares com sistema Android e IOS e deve beneficiar cerca de 230 mil jovens com idade para prestar o exame que, atualmente, serve como porta de entrada para vagas em mais de 120 universidades no Brasil.

O lançamento do aplicativo ocorreu na manhã desta terça, na sede do Ganha Tempo, em Cuiabá. Na ocasião, o deputado explicou como teve conhecimento da ferramenta e fez a indicação ao secretário de Estado de Trabalho e Assistência Social, Valdiney Antônio de Arruda.

“Uma empresa nos procurou na Assembleia Legislativa e apresentou o projeto. Achei extremamente interessante e levei ao secretário Valdiney, que, imediatamente, comprou a ideia. É a união do que os jovens gostam, a internet, e do estudo que se faz necessário para eles. É algo inédito no Brasil e que vai realmente contribuir muito com esses 230 mil jovens que estão aptos a fazer o Enem neste ano”, conta Oscar.

De acordo com o secretário, a ferramenta é simples e possui mecanismos que facilitam a aprendizagem, como a definição dos conteúdos que o estudante tem mais dificuldade de assimilação. São 131 vídeoa aulas, 400 exercícios comentados e cerca de 500 páginas de livros digitalizados que podem ser baixados.

“O programa identifica e estabelece em que tempo você quer estudar. Tem vídeo aulas e exercícios específicos, focados na dificuldade do estudante e trabalhar on line, quando você baixa o programa, e depois disso, off line. A pessoa não precisa ter uma internet 100% plugada. Basta ter acesso a ela pelo tempo suficiente para baixar o conteúdo”, explica o secretário.

A expectativa inicial do governo é de atingir os cerca de 230 mil estudantes com idade aproximada para prestar o Enem. O secretário afirma, no entanto, que o número pode ser ainda maior, já que qualquer pessoa pode baixar o aplicativo e ter acesso ao conteúdo. Para que comunidades com mais dificuldades de acesso a internet, como as quilombolas e indígenas, também sejam beneficiadas, o governo deve fazer ações em, pelo menos, 22 municípios nos próximos meses.  

A adesão e o resultado obtido pelos usuários do sistema no Enem devem ser determinantes para a continuidade da proposta. Isso porque, conforme o secretário, o projeto ainda piloto. Durante este ano, a plataforma não terá custo algum ao governo. A partir de 2017, a empresa responsável pela elaboração do aplicativo deve negociar com o Estado a continuidade do programa.